O País – A verdade como notícia

“Devemos respeitar todos os adversários no CAN de futebol de praia”

O seleccionador nacional de futebol de Praia, Abineiro Ussaca, diz já estar a estudar os adversários que vai encontrar, em Maio, na fase final do CAN da modalidade, no Senegal. Ussaca agradece ainda a escolha de Portugal para estágio.

Na essência, Egipto, Marrocos e Seychelles é que são os adversários de Moçambique na sua estreia no Campeonato Africano das Nações de futebol de praia. São selecções com algum histórico de participações em fases finais do CAN, mas isso não assusta o seleccionador nacional.

Abineiro Ussaca diz que o mais importante “é respeitar todos os adversários”. Entretanto, “já estamos a trabalhar em função dos nossos adversários e a estudar a forma como cada um deles joga. Estamos a visualizar os jogos dos nossos adversários e estamos a trabalhar em função deles. Sabemos que eles são muito fracos em termos físicos e, por isso, são estáticos quando jogam e já estamos a ensaiar o sistema deles”, disse Ussaca.

Os adversários já tiveram boas posições em campeonatos anteriores, casos de Marrocos e Egipto, que já estiveram no pódio da prova continental. “O Marrocos é um dos melhores posicionados em termos daquilo que foi o futebol de praia na edição anterior; já ficou em terceiro lugar e Egipto também tem tido boas prestações nesta competição”, comenta Ussaca.

Ussaca garante que está a trabalhar para alcançar o objectivo traçado que é vencer pelo menos uma partida e chegar às meias-finais da competição.

“Estamos cientes de que não vai ser uma tarefa fácil e vamos ter jogos muito difíceis, mas estamos a trabalhar para superar as adversidades que os adversários podem causar-nos e fazermos o melhor”, disse Abineiro Ussaca que assegurou ainda que “nós também queremos ter uma palavra a dizer nesta prova”.

Para o seleccionador nacional, “se estamos entre as melhores oito selecções de África, temos que dar a nossa palavra e justificar o porquê estamos lá”, sentenciou.

Por outro lado, o seleccionador nacional mostra-se feliz pela escolha de Portugal para realizar o estágio, tendo em conta os vários factores em comum com Moçambique.

Para o caso de Marrocos, o seleccionador nacional fala de “aspectos como a cultura, em que a sua forma de se alimentar, muito diferente da nossa, para além de estarem em período de Ramadan”. Por isso, não foi a primeira opção, até porque “tem outra parte desportiva que eles podiam não ser honestos suficientes e estarem ali atentos ao que estivermos a fazer”. Mas, optou-se por Portugal e agradece à direcção da Federação Moçambicana de Futebol, já que “temos muito em comum, em termos de língua, alimentação e não teremos ninguém que venha espionar o que estamos a fazer”.

O CAN de futebol de praia decorre de 23 a 29 de Maio, em Dakar, Senegal, e Moçambique é uma das oito melhores selecções de África. A prova qualifica os representantes do continente ao mundial da modalidade.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos