O País – A verdade como notícia


ÚLTIMAS

Destaques

NOTÍCIAS

As obras seleccionadas para os géneros de prosa e poesia são, da segunda edição do Prémio Literário Mia Couto são, aleatoriamente, Kwashala Blues, de Jessemusse Cacinda, Estórias trazidas pela ventania, de Adelino Albano Luís, Da asa do vento, a poeira do fogo, de Rungo Novela, e As ancas do camarada chefe, de Sérgio Raimundo.

O anúncio das obras vencedoras será feito no dia 15 de Agosto e a cerimónia de premiação terá lugar no dia 12 de Setembro do corrente ano, na Cidade da Beira.

Cada vencedor do Prémio Literário Mia Couto será agraciado com valor pecuniário na ordem de 400.000 MZN (quatrocentos mil meticais), financiado pela empresa Cornelder de Moçambique.
A Cornelder de Moçambique e a Associação Kulemba lançaram, no passado dia 10 de Abril, a 2ª edição do Prémio Literário Mia Couto. A iniciativa pretende estimular a produção literária de qualidade em Moçambique, distinguindo as melhores obras publicadas anualmente. Para o efeito, foi constituído um colectivo de júri, que, esta segunda-feira, apresentou a lista de 04 finalistas do concurso.

Os membros do júri da 2ª edição do Prémio Literário Mia Couto são Lourenço do Rosário (presidente), Teresa Manjate, Ondjaki, Marcelo Panguana e Tânia Macedo.

 

Vídeos

NOTÍCIAS

O alerta foi lançado pelo Hospital Central da Beira (HCB) pois, no início de cada ano, a maior unidade sanitária da região Centro do país recebe material médico-cirúrgico para um período de doze meses.

Nesta transição para o segundo semestre, a unidade sanitária já consumiu a maior parte do material recebido e, segundo foi dado a conhecer ao “O País”, o que resta não será suficiente até Dezembro próximo para atender à demanda.

O HCB diz que tal escassez se deve ao facto de esta unidade sanitária estar a receber, nos últimos tempos, muitos casos relacionados com acidentes de viação.

“Nos últimos tempos, temos recebido em massa pacientes vítimas de acidentes. Vezes sem conta, nós vemos mototaxistas, sem nenhuma formação e sem nenhuma capacitação, que carregam cinco pessoas de uma só vez. E, quando acontece alguma tragédia, são cinco doentes que vão precisar de cuidados, vão precisar de materiais e internamento. Isto, de certa maneira, não estava previsto”, explicou Ana Tambo, directora-clínica do Hospital Central da Beira.

Dada a escassez do material médico-cirúrgico, o atendimento na ortopedia e cirurgia do Hospital Central da Beira tem sido de forma prioritária às vítimas de acidentes.
“A prioridade é para aqueles doentes que vão para casa. Damos prioridade aos doentes que serão operados. Nós já fizemos contactos, ao nível do Ministério da Saúde, de modo a pedir reforço destes equipamentos”, assegurou.

Dados em poder do “O País” indicam que, esta semana, o Hospital Central da Beira irá receber o reforço de material médico-cirúrgico. Os serviços de ortopedia do HCB têm capacidade para 88 camas, sendo que, neste momento, estão internados 72 doentes. Destes, 80% foram vítimas de acidentes de viação envolvendo mototáxis. Os dados indicam que, de Janeiro a esta parte, foram registados 26 sinistros contra 17 de igual período do ano passado, que resultaram em 50 vítimas mortais contra 30, seis feridos graves contra sete e 104 ligeiros contra 1.

Para a Polícia de Trânsito, ultrapassagens irregulares, excesso de velocidade e carga e “ganância” pelo dinheiro, têm sido as causas dos acidentes de viação.

É neste sentido que as autoridades desencadearam uma campanha de sensibilização dos mototaxistas.

Chimoio celebrou, ontem,  55 anos de elevação à categoria de cidade.  Os munícipes reconhecem o crescimento da urbe, mas querem melhorias nas vias de acesso e recolha de lixo nos mercados dos bairros periféricos.

Chimoio significa, em língua Tewe, “coração pequeno”. Mas de pequeno, na opinião dos munícipes, apenas sobrou o nome, pois  a cidade tem estado a registar um crescimento exponencial a vários níveis.

“Estamos de parabéns. A nossa cidade está a crescer, tendo em conta a situação anterior em que se encontrava. Havia problemas de vias de acesso. Mas, agora, está num bom caminho”, descreveu Domingos Luís, munícipe.

Quem comunga da mesma opinião é Chabuca Fazenda, que destaca o desenvolvimento que a cidade registou nos últimos anos. “Todas as praças da cidade de Chimoio estão bonitas. Há melhorias”, disse.

Mas nem tudo vai bem em Chimoio. Além da requalificação dos mercados, os munícipes querem que a edilidade olhe mais para os bairros periféricos, melhorando mais, sobretudo, as vias de acesso.

De resto, algumas vias encontram-se danificadas e dificultam a mobilidade dos automobilistas que, muitas vezes, são obrigados a fazer “gincanas” e danificar as suas viaturas.

“O município deve fazer limpeza, porque comprar alimentos num sítio sujo não é bom. Isto prejudica a saúde das pessoas”, desafiou Any Cunat, municípe.

“As estradas estão cheias de covas. Estamos a pedir para intervirem nas vias de acesso”, apelou Chiquita Mouzinho.

O edil de Chimoio, João Ferreira,  reconhece os problemas e diz que já está a trabalhar para resolvê-los. Ferreira falou também das principais acções nos primeiros meses do seu segundo mandato.

“Nosso foco esteve e continua virando para a recolha permanente de resíduos sólidos, uma missão conjunta que temos pela frente. A reabilitação e preservação dos jardins e praças, tal como se vê aqui mesmo ao lado. Esta é uma acção realizada com o apoio dos nossos parceiros”, destacou Ferreira.

As atividades desportivas e recreativas marcam a celebração dos 55 anos de elevação de Chimoio, então Vila Pery, à categoria de cidade.

O antigo ministro da Saúde, Hélder Martins, diz que há infiltrados corruptos e oportunistas na Frelimo e que alguns chegaram à direcção do partido. Falando no programa “Grande Entrevista”, o antigo ministro da Saúde também criticou o Governo pelo mau tratamento de casos de corrupção.

Em 1989, a Frelimo realizou o seu quinto congresso nacional, um evento que trouxe grandes mudanças internas e também externas para o partido.

No entender de Hélder Martins, foi a partir desse momento que a Frelimo nunca mais foi a mesma.

“No quinto congresso da Frelimo, resolve-se que agora a Frelimo é novamente uma frente. Entra toda a gente. Então, o que é que sucedeu? esta infiltração que a gente vê hoje. Está infiltrada de corruptos, está infiltrada de oportunistas e agora chegaram a direccao”, diz Helder Martins.

E além da direcção do partido, os chamados oportunistas e corruptos chegaram também até aos ministérios, devido à partidarização do Estado. E mais: o antigo ministro da Saúde diz que há pessoas que esperam obter benefícios apenas por serem membros da Frelimo.

Falando em grande entrevista, Hélder Martins fez também duras críticas ao Governo, no tratamento de casos de corrupção. No seu entender, muitos problemas estariam resolvidos se os corruptos fossem devidamente responsabilizados.

“Se conseguíssemos que os corruptos fossem responsabilizados e que os bens vindos da corrupção fossem confiscados a favor do Governo, resolviam-se muitos problemas”, explicou o ex-dirigente, recordando que “estamos a assistir por ai tanto médicos, quanto enfermeiros a reclamarem de baixos salários, falta de produtos nas unidades sanitárias. Estamos a ver os professores até já vemos juízes a reclamarem”.

E diante de todos estes problemas, Hélder Martins aconselha aos jovens a serem mais insubmissos, mas alerta que a insubmissão não significa desordem.

O avançado internacional francês Kylian Mbappé foi apresentado, esta terça-feira, como novo reforço do Real Madrid, depois de assinar um contrato até 2029. Mbappé reconheceu estar a viver um sonho de criança por representar o Real Madrid, que considera o maior clube da história do futebol.

O reforço do clube madrilista chega ao campeão espanhol depois de várias épocas de sucesso ao serviço do Paris Saint-Germain. Mbappé chega ao Real Madrid como um dos melhores futebolistas do mundo, depois de sete temporadas de alto nível no PSG, onde marcou 256 golos em 308 partidas.

Na manhã desta terça-feira, o craque francês realizou os habituais exames médicos e procedeu à assinatura do contrato com os ‘merengues’. Num estádio com cerca de 80 mil adeptos, Kylian Mbappé era apresentado como novo reforço do campeão europeu de clubes.

No primeiro discurso como jogador do emblema de Madrid, o avançado francês admitiu estar a viver o sonho de infância.

“É incrível estar aqui, incrível. Tive, durante muitos anos, o sonho de jogar pelo Real Madrid e hoje se realiza o meu sonho. Sou um miúdo muito feliz. Sonhei muito em estar aqui, mas tenho outro sonho, que é estar à altura do melhor clube do mundo. Vou dar a vida por este clube e por este escudo”, garantiu.

Mbappé agradeceu a estrutura do Real Madrid por nunca ter desistido dele, mesmo depois de vários adiamentos por conta dos acordos com os donos do PSG e do Presidente da França. “Quero agradecer ao presidente Florentino Pérez, que confiou em mim desde o primeiro dia. Aconteceram muitas coisas… mas obrigado. Agradeço também a todas as pessoas que trabalharam para que eu estivesse aqui. Sei que foi um trabalho difícil, mas ganhámos. Estou aqui, sou um jogador do Real Madrid. Vejo a minha família, está feliz, vejo a minha mãe a chorar”, prosseguiu o atacante.

Para terminar o seu discurso, o capitão da selecção francesa, como que a recordar a apresentação do seu ídolo, Cristiano Ronaldo, em 2009, gritou em uníssono com os muitos adeptos presentes na casa do Real Madrid o lema do clube: “1,2,3 Hala Madrid”.

Estava dado o mote para aquela que se espera que seja uma jornada de sucesso para o novo ídolo de Madrid.

O presidente do Real Madrid, que entrou no relvado acompanhado por Zinédine Zidane e José Martínez Pirri, destacou a presença do antigo jogador e antigo treinador dos merengues e deu as boas vindas ao novo jogador.

“Querido Zidane, há 12 anos convidaste um miúdo para visitar Valdebebas e hoje ele está aqui. Chegou o momento de dar as boas-vindas a um jogador excepcional que chega para nos ajudar a continuar a ganhar, que vem realizar o sonho da sua vida. Damos as boas-vindas a Kylian Mbappé”, disse.

A cerimónia terminou às 12h15, depois de Mbappé ter distribuído bolas de futebol pelas bancadas, ao mesmo tempo que a massa adepta entoava o nome do atleta, bem como cânticos madrilistas.

O jogador esteve recentemente ao serviço da selecção francesa, no Euro 2024, equipa que foi afastada pela Espanha nas meias-finais da competição. Pelos “Les bleus” já faturou por 48 vezes em 84 partidas.

O ex-presidente dos Estados Unidos da América, que sobreviveu a um atentado a tiro, no sábado, disse que a sua sobrevivência foi um milagre e que devia estar morto. A revelação foi feita em sua primeira entrevista depois do atentado, cujas motivações ainda são desconhecidas.

Trump já foi confirmado como candidato presidencial do partido republicano, durante a Convenção do seu partido realizada esta segunda-feira onde foi recebido como um “verdadeiro heroi”.

No evento, o reublicano não discursou mas na sua rede social anunciou o seu vice-presidente para a corrida às presidenciais de 5 de novembro.

Mesmo sendo aguardado o seu discurso para quinta-feira, Trump deixou algumas palavras.

“Não devia estar aqui, devia estar morto”, Foi “uma experiência muito surreal. “O médico do hospital disse que nunca tinha visto nada assim, chamou-lhe um milagre”, disse.O magnata disse que, quando os agentes dos serviços secretos o retiraram do palco, quis continuar a falar com os apoiantes, mas foi-lhe dito que não era seguro e que tinha de ser levado para um hospital.

Trump aproveitou a oportunidade para agradecer aos agentes que o protegeram e que dispararam contra o atirador. “Atingiram-no entre os olhos. Fizeram um trabalho fantástico. É surrealista para todos nós”, acrescentou.

“Muitas pessoas dizem que é a fotografia mais icónica que alguma vez viram. Têm razão e eu não morri. Normalmente, é preciso morrer para se ter uma fotografia icónica”, comentou sobre a imagem em que aparece a levantar o punho e a dizer “Fight” (luta) várias vezes.

Ao jornal Washington Examiner, o ex-presidente garantiu que reescreveu completamente o discurso para a convenção, de forma a abordar este momento e a defender a unidade do país. “Esta é uma oportunidade para unir todo o país, até mesmo o mundo inteiro. O discurso será muito diferente, muito diferente do que teria sido há dois dias”.

Trump afirmou que tinha “preparado um discurso extremamente duro” sobre a “horrível administração [do Presidente Joe] Biden”, mas abandonou esse por um discurso que esperava “unisse o país”.

A Electricidade de Moçambique (EDM) restabeleceu, ontem, a corrente eléctrica em Cabo Delgado, após corte do fornecimento a mais de 160 mil pessoas, face a uma anomalia na rede de alta tensão, anunciou fonte oficial.

“Fizemos a reposição (…) por volta das duas horas da madrugada e restabelecemos o sistema. Todo o circuito está alimentado, toda a província de Cabo Delgado tem energia”, disse Hermínio Assamo, director da EDM para a área de atendimento ao cliente em Pemba, capital provincial de Cabo Delgado, citado pela Rádio Moçambique.

Um total de 166 412 clientes ficaram sem energia na segunda-feira, em Cabo Delgado, devido a uma anomalia na rede de alta tensão, anunciou a empresa, referindo que a corrente estava a ser fornecida por “vias alternativas”.

Já em Niassa, outra província do Norte de Moçambique, mais de dez mil famílias do distrito de Melulu estão, desde sábado, sem corrente eléctrica devido a vandalizações na linha.

“Deitaram abaixo dois postes de madeira, deixando perto de 10 067 famílias desprovidas de energia eléctrica”, disse o director da Área de Serviço da EDM, Heitor Matimele.

Segundo Matimele, os postes da linha de transporte de média tensão foram derrubados recorrendo a instrumentos contundentes.

Até ao final de 2023, a EDM tinha somado prejuízos de cerca de 30 milhões de Meticais, devido à vandalização de infra-estruturas no país, uma redução em relação ao ano anterior (2022), em que se totalizaram cerca de 41 milhões de Meticais.

Está detido, na cidade de Tete, um indivíduo acusado de assassinar um suposto ladrão, numa tentativa de roubo. O assassinato deu-se na madrugada do último sábado, quando a vítima, de 29 anos de idade, se dirigiu à casa do indiciado para, alegadamente, roubar alguns bens.

Para neutralizar o suposto ladrão, o proprietário da casa usou instrumentos contundentes para desferir golpes contra a vítima.

Entretanto, o indiciado alega que recorreu a tais instrumentos em legítima defesa, mas nega ter sido ele quem matou a vítima.

A Polícia em Tete condena o acto de violência e apela à população para não optar por justiça pelas próprias mãos.

Este é o segundo caso de assassinato em menos de um mês, num cenário em que a população opta por justiça pelas próprias mãos. O caso mais recente deu-se há sensivelmente duas semanas, quando um jovem de 30 anos morreu nas mesmas circunstâncias, no bairro Matundo, em Tete.

O Conselho Nacional de Defesa e Segurança manifesta preocupação com a onda de raptos que se verifica no país, tendo como alvo agentes económicos e, por isso, apela às autoridades competentes para imprimirem maior dinâmica no combate a este mal.

Reunido, esta segunda-feira, na décima quarta Reunião do órgão sob a liderança do Presidente da República e Comandante-Chefe das Forças de Defesa e Segurança, o órgão apreciou a situação de defesa, com enfoque para o combate ao terrorismo no Teatro Operacional Norte, bem como a evolução da situação de segurança e ordem pública a nível nacional.

Uma nota recebida na nossa Redacção indica que o Conselho congratula as Forças de Defesa e Segurança pela melhoria da situação de segurança no Teatro Operacional Norte, facto que tem contribuído para a retoma e bem-estar das populações.

No domínio da segurança pública, o Conselho Nacional de Defesa e Segurança expressou preocupação com a proliferação e trânsito de drogas pelo território nacional.

A Comissão Política da Frelimo aprovou, hoje, o manifesto eleitoral do partido para as eleições gerais de 9 de Outubro, que será submetido à apreciação do Comité Central na sexta-feira.

“A Comissão Política reconhece as contribuições dos membros, simpatizantes e dos vários segmentos da sociedade na elaboração desta proposta”, lê-se no comunicado final da 30.ª reunião ordinária daquele órgão, presidida pelo presidente do partido e chefe de Estado, Filipe Nyusi.

Na reunião, a Comissão Política analisou “o grau de preparação” da segunda sessão extraordinária do Comité Central da Frelimo, o principal órgão do partido entre congressos, tendo aprovado “a proposta do manifesto eleitoral”, que “será apreciada nesta sessão”, a decorrer na próxima sexta-feira, na escola central do partido, na cidade da Matola.

Na ocasião, a porta-voz do partido, Ludmila Maguni, afirmou que a agenda desta sessão do Comité Central “é única”, prevendo a “aprovação do manifesto eleitoral” que o partido vai levar ao “processo de eleições que se realizam este ano”.

O país vai realizar, a 9 de Outubro, as sétimas eleições presidenciais e legislativas, as segundas para os governadores provinciais e as quartas para as assembleias provinciais.

O candidato da Frelimo a Presidente da República, Daniel Chapo, secretário-geral interino, garantiu a 5 de Junho que o partido vai continuar no poder, mas avisou que é tempo de acabar com o nepotismo e a corrupção.

“São 50 anos de independência no próximo ano. Vamos aproveitar a ocasião para avaliar o que nós fizemos durante os 50 anos e [programar] o que nós temos de fazer nos próximos 50 anos. Porque sabemos que vamos continuar no poder”, disse Chapo, num comício improvisado à porta do Conselho Constitucional, em Maputo, onde entregou a candidatura a Presidente da República.

+ LIDAS

Siga nos

Galeria