O País – A verdade como notícia

Município de Maputo introduz estacionamento rotativo electrónico

A cidade de Maputo vai contar, a partir de finais de Maio próximo, com um novo serviço de estacionamento rotativo remunerado. Trata-se de um sistema que inclui o uso de meios electrónicos, que, segundo a edilidade, vai melhorar a colecta de fundos para a prestação de serviços aos cidadãos.

A ideia surge para tornar mais eficaz o processo de estacionamento, uma vez que a capital do país recebe, diariamente, mais de 20 mil viaturas, sendo que o grande dilema são os locais de estacionamento.

Conforme explicou o Presidente do Conselho de Administração (PCA) da Empresa Municipal de Mobilidade e Estacionamento, João Ruas, o estacionamento rotativo para a cobrança de carros estacionados, na via pública, já existia, mas a grande novidade é que a plataforma electrónica vai ajudar o munícipe a parquear e a fazer o pagamento directamente ao município, logo no momento do acto.

MAS AFINAL, COMO FUNCIONA O SISTEMA?

“O munícipe instala o aplicativo no telemóvel e, assim que entrar, poderá interagir com o aplicativo através das seguintes questões feitas automaticamente: onde está? O tempo que vai ficar? E a matrícula da viatura? O sistema diz ainda quanto, em termos de valor monetário, deverá pagar e as formas de pagamento. Mas, mesmo sem instalar o aplicativo, é ainda possível estacionar e pagar através de um código, que será, futuramente, divulgado”.

João Ruas explicou ainda que, caso o condutor não tenha como efectuar o pagamento pelo telemóvel, estarão distribuídos, pela cidade, alguns pontos de pagamento.

Numa primeira fase, o serviço estará em funcionamento a partir da avenida 24 de Julho até à baixa da cidade e em toda extensão da Av. 25 de Setembro. Com o serviço, serão cobrados, por hora, 10 meticais.

O sistema de estacionamento rotativo é feito, até ao momento, pelos funcionários do município, segundo explicou a fonte, embora o sistema não seja eficaz pelo facto de alguns trabalhadores não declararem as contas e, assim, o município não recebe todo o valor que devia receber. Ainda assim, com o funcionamento do sistema, esses não vão perder o emprego.

“Os funcionários vão ser formados e serão os fiscais, a missão será a seguinte, através de um aparelho, vão ler as matrículas do carro e, automaticamente, mandam a informação para a central, que se pode ver se o carro pagou ou não e, caso não tenha pago, o fiscal irá ao encontro do condutor para efectuar o pagamento”, explicou.

Ainda segundo a fonte supracitada, se o carro já não estiver estacionado no local, pela sua matrícula, será possível enviar a informação indexada ao manifesto do automóvel e não poderá pagá-lo sem antes saldar a dívida, que será de 1000 meticais.

Mesmo com a inovação, o município de Maputo reconhece a dificuldade de estacionamento e, para tornar o sistema eficaz, serão construídos três parques de estacionamento, a partir do segundo semestre deste ano. Todos estão na zona baixa da cidade.  

O primeiro será construído no aterro do Maxaquene, cujas obras estão orçadas em cerca de seis milhões de dólares, para receber 600 viaturas.

O segundo, avaliado em cinco milhões de dólares, será erguido próximo ao Gabinete do Primeiro-ministro cuja capacidade é receber 580 viaturas.

O terceiro estará ao lado do mercado central e vai custar cerca de sete milhões de dólares, para receber 800 viaturas.

 

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos