O País – A verdade como notícia

Bolsa de Valores diz que é preciso explorar energia e talento da juventude

Salim Valá, presidente da Bolsa de Valores de Moçambique, entende que só se garante um presente e futuro melhores apostando-se na juventude, até porque é nesta faixa etária onde existe ainda energia e talento por se explorar.

A Bolsa de Valores de Moçambique, que é um dos parceiros do projecto Mozefo Young Leaders, entende que a juventude é o pilar do país e que por isso é preciso explorar a sua energia e talento para o bem da nação. Esta instituição defende que só é possível gerar mudanças, apostando-se nos jovens.

Na voz do presidente da Bolsa, Salim Valá, a instituição justifica que a parceria com o Mozefo Young Leaders surge por entender ser pertinente apostar-se na juventude. “Nós como parceiros da iniciativa estamos nela porque acreditamos que os jovens são um pilar fundamental no desenvolvimento do nosso país. Eles representam acima de 33.5 por cento da população e se juntarmos com aquela população de zero aos 14 anos de idade são mais 44 por cento da população. E os jovens estão no cume da árvore da vida. A sua energia e o seu talento são o motor para o crescimento da economia e o desenvolvimento da sociedade”, afirma Valá.

Destaca, também, ganhos para a Bolsa de Valores. “Nós como Bolsa de Valores estamos apostados em pavimentar uma cultura bolsista em Moçambique. Não tínhamos como não apostar neste segmento estratégico da população que é o ponto vital para provocar mudanças no presente e no futuro. Portanto, estar presente no Mozefo Young Leaders, participar activamente, passar a mensagem, mas também aprender com os jovens com as suas experiências, com os seus desafios, também vai potenciar a instituição para melhor focalizarmos a nossa acção no futuro em prol do desenvolvimento de um mercado de capitais, de um sistema financeiro dinâmico e sustentável em Moçambique”, disse o presidente da Bolsa de Valores de Moçambique.

E porque a Bolsa é também parceira da Associação de Estudantes Universitários de Moçambique, a mesma que vai exibir uma feira de projectos no Mozefo Young Leaders, Salim Valá aponta a relevância desta iniciativa de feira aos universitários. “Olhamos com muito interesse esta Feira Nacional de Projectos que vai permitir que vários estudantes finalistas provenientes de vários pontos do país apresentem suas ideias, seus projectos e ali estarão presentes empresários, parceiros financeiros que poderão comprar estes projectos e assegurando que possam ser financiados e implementados”, refere Salim Valá.

Associação de Jovens Bancários interessada em participar do Mozefo Young Leaders para criar sinergias

A Associação Moçambicana de Jovens Bancários diz que quer participar do Mozefo Young Leaders para criar sinergias que tragam benefícios à juventude. Os jovens defendem que o evento desperta ideias para a solução dos desafios da sociedade. A visibilidade do projecto, o impacto e a possibilidade de troca de ideias são, entre muitas, algumas das razões que fazem com os jovens bancários queiram estar no Mozefo Young Leaders. E porque trata-se de uma associação de bancários, o presidente da agremiação aponta alguns dos desafios que os jovens enfrentam no mercado financeiro. “Pensamos que ainda continua a ser obstáculo aceder ao crédito. Em relação as pequenas e médias empresas, cujos maiores detentores são os jovens, dar o nosso contributo em relação ao fundo de garantia juvenil”, disse Emílio Fernando, presidente da Associação Moçambicana de Jovens Bancários.

A Associação adverte a juventude para estar sempre atenta às oportunidades do mercado.

 

 

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos