O País – A verdade como notícia

Metical aprecia 17% em relação ao dólar

“A nós, sector privado, interessa ouvir que as taxas de juro reduziram”, disse Agostinho Vuma, presidente da CTA, reagindo à variação positiva que a moeda nacional registou em relação à norte-americana.

O banco central norte-americano injectou cerca de 2,2 trilhões de dólares para activar a economia dos Estados Unidos, devido à pandemia da COVID-19, o que, por um lado, precipitou uma queda expressiva das bolsas mundiais e, por outro lado, permitiu a apreciação de algumas moedas, tais como o metical que apreciou em 17%, depois do dólar ter caído dos cerca de 75,2 meticais em finais de Janeiro para 74,9 em Fevereiro, 68,7 em Março e 58,6 meticais na presente data.

Entretanto, o sector privado nacional diz que a valorização do metical em relação ao dólar cria oportunidade para o Banco de Moçambique baixar as taxas de juro no país, de modo a estimular os investimentos e a produção interna, para fazer face ao défice da conta corrente.

A Confederação das Associações Económicas de Moçambique (CTA) considera que, devido à paralisação dos grandes projectos da indústria extractiva, o país reduziu as importações e, consequentemente, a demanda interna por divisas.

Mesmo com a apreciação da moeda nacional, o presidente da CTA, Agostinho Vuma, considera que Moçambique continua sem capacidade para comprar o dólar a 60 meticais por unidade. “Para o sector privado moçambicano, o mais importante, agora, é a redução das taxas de juro, dos custos de produção e aumento de investimentos para fazer face ao défice balança de pagamentos”, enfatizou Vuma.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos