O País – A verdade como notícia

Lurdes Mutola só avança à Federação de Atletismo com garantias de apoios

A campeã mundial e olímpica dos 800 metros, Maria de Lurdes Mutola, diz estar disposta a avançar com a sua candidatura à Federação Moçambicana de Atletismo. Entretanto, diz que a candidatura está refém de apoios financeiros dos potenciais parceiros.

É um desejo antigo, mas com contornos recentes. Lurdes Mutola quer avançar para a presidência da Federação Moçambicana de Atletismo, mas a falta de fundos pode ser um entrave.

Falando aos jornalistas, Mutola disse que “em termos da minha candidatura, ela ainda está de pé, mas tudo pode vir a mudar, porque é muito importante ter apoio para a federação”, acrescentando que “não gostaria de  ir à Federação Moçambicana de Atletismo sem apoios e, quando falo de apoios, estou a falar de apoio financeiro para poder desenvolver a modalidade, porque é muito difícil fazer algo, naquela posição, se as coisas continuarem da forma como estão; agora nada vai acontecer. Gostaria de avançar com apoio de várias instituições para poder resgatar a modalidade”, disse a campeã olímpica.

Questionada se já se tinha adiantado na procura desses apoios, Lurdes Mutola respondeu que “não posso falar muito neste momento, mas dizer que estou à procura do apoio e, se tudo der certo, vou-me candidatar”.

 

“Mutola Legends” para resgatar o atletismo

O plano da Lurdes Mutola é descobrir talentos nos jovens atletas moçambicanos por forma a serem os representantes do país nas competições internacionais. Ainda assim, reconhece que não será fácil motivar os jovens, “mas estou a fazer todos os possíveis para fazer crescer o atletismo e, nesse sentido, acabo de lançar o projecto ‘Mutola Legends’ que é uma iniciativa que vai ajudar a modalidade no país e espero que cresça cada vez mais e que tenhamos grandes atletas no futuro. Sei que tudo leva tempo e não é fácil, mas acredito no trabalho duro”, anunciou, em primeira mão, Lurdes Mutola.

Era intenção da menina de ouro levar o projecto a todas as províncias, mas a pandemia da COVID-19 contrariou os planos da antiga atleta. “Mutola Legends é um projecto que tem a ver com o desenvolvimento do atletismo. Ainda estamos na fase inicial, trabalhamos com atletas femininos e masculinos de vários bairros de Maputo, gostaríamos de lançar este projecto para outras províncias só que temos a questão da pandemia, mas acho que, com tempo, tudo vai dar certo”, justificou-se a Heroína do Trabalho.

“MUTOLA LEGENDS” PARA RESGATAR O ATLETISMO

A falta de talentos deixa a campeã olímpica de Sidney-2000 triste, já que o país não tem qualificado, com frequência, os atletas aos Jogos Olímpicos. Aliás, desde a saída de Lurdes Mutola há 13 anos, o país só qualificou apenas um atleta, Kurt Couto, nos Jogos Olímpicos de Rio, em 2016.

Por isso, Lurdes Mutola considera que “é muito triste, porque o atletismo sempre foi a modalidade número (um) de Moçambique nos Jogos Olímpicos para chegarmos a esta situação de não termos um atleta é lamentável”.

Mutola diz que “é por essa razão que acho que tínhamos que mudar um bocadinho e tentar, porque acredito nos atletas; acredito que temos muito talento, só precisamos de trabalhar para podermos ter mais de dez atletas com mínimos olímpicos, mas tudo leva o seu tempo, temos que trabalhar e apostarmos certo”.

Lurdes Mutola venceu a medalha de ouro olímpica a 25 de Setembro de 2000 e conquistou três vezes o campeonato do Mundo de pista aberta, em Estugarda-1993, Edmonton-2001 e Paris-2003, e sete títulos mundiais de pista coberta, nomeadamente Toronto-1993, Barcelona-1995, Paris-1997, Lisboa-2001, Birmingham-2003, Budapeste-2004 e Moscovo-2006.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos