O País – A verdade como notícia

Instituições patrocinam realização de “Nhinguitimo”

Na passada sexta-feira, na Cidade de Maputo, foi concretizado acordo de financiamento com vista a realização da curta-metragem de ficção “Nhinguitimo”, Licínio Azevedo.

Na cerimónia, banco BCI rubricou com a produtora Ébano Multimédia o memorando que formaliza o patrocínio que concede para a efectivação do projecto. De igual modo, segundo avança a nota daquela instituição bancária, foram firmados outros protocolos, envolvendo, entre outras instituições, a Vodacom Moçambique, numa cerimónia que contou, ainda, com a presença do académico Jorge Ferrão, na qualidade de produtor; do escritor Luís Bernardo Honwana e do próprio realizador do filme, Licínio Azevedo.

No evento, o administrador do BCI, Rogério Lam, reiterou o compromisso do BCI no apoio à cultura, salientando que é com prazer e orgulho que o Banco patrocina a obra-prima moçambicana de enorme valor estético, informativo e educacional. Lam evidenciou ainda dois pormenores: o facto de a realização desta curta-metragem estar a ocorrer num cenário complexo de COVID-19.

Igualmente no evento, Luís Bernardo Honwana afirmou que é importante que, de vez enquando, iniciativas como a curta-metragem de Licínio Azevedo surjam para ajudar a compreender, inclusive, o actual momento que o país enfrenta. Já o realizador, disse que acredita que a sua curta-metragem poderá servir para estimular a aprendizagem na “escola do cinema” a nível nacional.

As rodagens de “Nhuinguitimo”, filme adaptado de um dos contos de Nós matámos o cão-tinhoso, de Luís Bernardo Honwana, está em redoganes no Distrito de Boane, na Província de Maputo.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos