O País – A verdade como notícia

Frelimo quer “irmandade” na integração dos desmobilizados da Renamo  

Pouco mais de 800 homens da Renamo já foram desmobilizado no âmbito do DDR, processo que vai abranger mais de 5.200 guerrilheiros no país. A Frelimo pede aos seus membros e simpatizantes para receberem os recém-integrados na vida civil em ambiente de irmandade e coesão.

Foram recentemente desactivadas três principais bases da Renamo em Manica onde estavam acantonados pouco mais de 800 homens daquela formação política e também da Junta Militar da Renamo.

Tomás Chitlango, primeiro secretário da Frelimo em Manica, está a trabalhar com membros e simpatizantes desta formação política no sentido de não hostilizarem aos ex-guerrilheiros da Renamo e da auto-proclamada Junta Militar da Renamo.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos