O País – A verdade como notícia

SADC cria comissão técnica para avaliar o apoio necessário para acudir Moçambique

A Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC) vai enviar uma equipa técnica, a Moçambique, para a avaliação das necessidades do país, no combate ao terrorismo, que há três anos afecta a zona norte da província de Cabo Delgado.

A decisão, classificada como de “carácter urgente” consta da declaração final da cimeira da dupla Troika da SADC, que esteve reunida na capital do país.

“A Cimeira da Dupla Troika decidiu formar e enviar imediatamente a Moçambique uma equipa técnica”, para a avaliação das necessidades de apoio na luta contra a violência armada no norte do país, disse a Secretária Executiva da SADC, Stergomena Tax, na apresentação da síntese da declaração.

A equipa, cuja composição, nem perfil dos integrantes foi revelada, deverá chegar ao país no próximo dia 15 de Abril corrente, e trabalhará, sobretudo, no chamado Teatro Operacional Norte.

“Tendo em conta a dimensão real da ameaça, a comissão estará cá de modo a ver que tipo de meios são necessário de modo a ter uma reacção proporcional ao nível da ameaça” resumiu a Ministra dos Negócios Estrangeiros e Cooperação, Verónica Macamo, numa breve interacção com a imprensa.

Como parte da decisão tomada nas sessões da Dupla Troika, cujas decisões eram aguardadas com enorme expectactiva, quer dentro, quer pelo mundo fora, dada a musculatura que vêm sendo exibida pelos terroristas, que só há duas semanas, destruíram várias infraestruturas públicas e privadas no distrito de Palma, e levaram a população a abandonar a vila, foi aprovada a constituição de uma equipa interministerial da organização regional para estudar o assunto.

De acordo com Tax, os resultados da avaliação serão submetidos à consideração de uma cimeira extraordinária da Dupla Troika convocada para o dia 29 do mês em curso, na cidade do Maputo.

Stergomena Lawrence Tax salientou que na cimeira de ontem, a SADC ressalvou que o terrorismo não tem lugar em Moçambique e na África Austral, devendo ser combatido de forma adequada.

“A cimeira manifestou solidariedade total e compromisso contínuo da SADC na luta pela paz e segurança na região”, resumiu Tax.

Por outro lado, os líderes da Dupla Troika repudiaram a barbaridade protagonizaram pelos terroristas em Cabo Delgado, solidarizaram-se com o país, no geral e frisaram que “não será permitida que a violência armada continue, devendo merecer uma resposta adequada”.

Esta expressão foi resumida na abertura do encontro, pelo presidente do Órgão de Política de Defesa e Segurança da SADC e Chefe de Estado do Botsuana, Mokgweetsi Masisi, que reiterou a necessidade de “uma resposta colectiva” contra os “ataques terroristas”.

“Os ataques terroristas no norte de Moçambique são uma ameaça a toda a região da África Austral e, por isso, precisamos de uma resposta colectiva”, declarou Masisi.

Participaram da Dupla Troika da SADC, o Presidente da República de Moçambique, actual líder em exercício da SADC, Filipe Nyusi, do Botswana, que preside o órgão de cooperação para Política, Defesa e Segurança, Mokgweetsi Masisi, do Malawi (que assume a próxima presidência rotativa da SADC), Lazarus Chakwera, da  África do Sul (próximo presidente em do órgão de Política, Defesa e Cooperação de Segurança), Cyril Ramaphosa, do Zimbabwe, Emerson Mnangagwa, e, em representação da Chefe de Estado da Tanzânia esteve o Presidente do Governo da região autónoma de Zanzibar, Hussein Ali Mwinyi.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos