Era uma cidade de gente triste

Era uma cidade de gente triste, tristes até quando celebravam seja lá o que for, e esforçavam tanto a ser tristes, apesar da tristeza aguda que

Correntes e reencontros d’escritas

Depois de uma ligeira turbulência aeroportuária, provocada por alguns «irritantes» motivos alheios à nossa viagem, adentramos a aeronave A340-300 para o voo TP 288, com

Imprescindíveis parágrafos doutrinários

DOUTRINÁRIAS LÂMINAS DOUTRINÁRIAS, surge na sequência do nosso anterior título de livro. Imprescindível Doutrina Contra, já apresentado também em Portugal no Grémio Literário de Lisboa,

A leitura como pressuposto da escrita

Todos os exercícios de leitura são, como é por demais evidente, importantíssimos para a questão e gestão da vida vivida no mundo social cada vez

Carta de Luanda IV

Ao longo dos meus alongamentos cerebrais, não raras vezes, tenho cruzado com um assunto que é – nada mais nada menos –, o assunto das

Do Atlântico para o Índico

Há cerca de trinta anos desde que, em 1989, aquando da realização do primeiro congresso de escritores de língua portuguesa em Lisboa, iniciamos as nossas

Do Atlântico para o Índico

Em razão da data do passamento físico do poeta Craveirinha, propus-me sair, pondo os pés na estrada, para saber a que ponto vai, em termos de cultura literária, a juventude